Empresa » O Que Fazemos?

A globalização têm desafiado as empresas a atuarem de forma cada vez mais competitiva, em busca de diferenciais com relação aos seus concorrentes. Os clientes estão mais exigentes e informados, com um número significativamente maior de opções.

Atuar nesse cenário requer ações permanentes que possam responder as novas necessidades do mercado:

  • Análise dos custos operacionais;
  • Redução no tempo de produção e oferta de produtos ou serviços;
  • Otimização dos estoques, melhorando os níveis de atendimento;
  • Ampliação do mix de produtos ofertado;
  • Eficiência na gestão dos recursos.

A tecnologia da informação tem um papel muito importante nesse contexto. Um ERP alinhado a eficientes práticas de gestão ampliam as oportunidades com condições de alcançar os objetivos propostos.

Essa ferramenta ajuda as organizações a se capacitar, sincronizando e integrando processos até então isolados, para que os gestores tenham uma visão ampla e global da sua empresa.

A implementação de um ERP exige tempo, determinação e esforços, as vezes até mudanças de processos, mas seus resultados positivos são evidentes.

Características de implementação

Fases da implantação ERP CGI

O que é um ERP?

ERP – Enterprise Resourse Planning, é o planejamento dos recursos das empresas.

Tem como objetivo, o de integrar todos os departamentos e funções das empresas com base em um único software que sirva as necessidades de todos os departamentos da empresa, desde Contabilidade, Recursos Humanos, Estoques, Financeiros, entre outros, numa única base de dados para que todos possam mais facilmente compartilhar das informações e comunicar-se entre si.

Esse link entre os departamentos e pessoas nas empresas pode trazer enormes benefícios, com base em um bom software de ERP.

Topo ^

Fundamentos de um ERP

Flexibilidade
Possibilidade de responder às constantes transformações das empresas.

Mudular
Arquitetura aberta, possibilidade de implementação por módulo em conformidade com as necessidades das organizações.

Escalabilidade
Suporta a diversas plataformas de hardware e Sistemas Operacionais.

Compreensivo
Suporta a diferentes estruturas organizacionais bem como de áreas de negócios.

Conectividade
Suporta conectividade entre todas as entidades, filiais.

Informação
Deve permitir visualização da situação real da empresa. Deve ser possível a elaboração de relatórios e consultas para os que controlam e gerenciam a empresa.

Alguns Benefícios

  • Segurança das informações
  • Melhor comunicação interna
  • Aumento da produtividade
  • Redução de custos.

Algumas Potencialidades

  • Sistema de informação integrado;
  • Solução para uma boa gestão;
  • Aumenta a qualidade dos serviços;
  • Execução de tarefa crítica;
  • Melhora e padroniza processos;
  • Possibilita melhora continua;
  • Possibilita acesso a informações para suporte à decisões

Topo ^

Componentes do Sistema ERP CGI

ERP CGI compostos por módulos, parametrizáveis onde há possibilita da empresa ajustar o mesmo a certo grau.

ERP CGI – enterprise resource planniNg

Gestão Financeira
PGS-CAP - Sistema de controle de contas a pagar, fornecedores.
PGS-CAR - Sistema de controle de contas a receber, clientes.
PGS-CAX - Fluxo de Caixa

Gestão de Estoques
PGS-EST - Sistema de controle de estoques, com os módulos de:

  • Compras;
  • Vendas;
  • Lotes;
  • Depósitos;
  • Estatísticas;
  • Lista de Preço;
  • Mercadorias;
  • Metas;
  • Movimentos;
  • Orçamentos;
  • Veículos.

Gestão de Comissões
PGS-COM - Sistema de controle de comissões.

Gestão de Faturamento
PGS-FAT - Sistema de emissão notas fiscais.
ECF – Emissor de Cupom Fiscal
TEF – Transferência Eletrônica de Fundos
eNF – Nota Fiscal Eletrônica

Gestão de Oficina
PGS-OFI - Sistema de controle de oficinas.
Assistência Técnica

Gestão Contábil
PGS-CTB - Sistema de contabilidade, com os módulos de:

  • Caixa;
  • Despesas Diferidas;
  • Bancos;
  • Tributos;
  • Gerencial;
  • Contábil;
  • Orçamentos.

Gestão Fiscal
PGS-LIF - Sistema de livros fiscais.
Sintegra

Gestão Gaveta Caixa
PGS-GAV – Sistema de gaveta caixa.

Gestão Marketing/CRM
PGS-MKT – Sistema de marketing, relacionamento com o cliente.

Gestão Lucrando Vendas
PGS-LVE – Sistema de vendas veículos.

Gestão de Grãos
PGS-GRA – Sistema de comercialização de grãos.

Gestão Patrimonial
PGS-CPA – Sistema de controle patrimonial.

Gestão de BI
PGS-BI – Business Intelligence, gerencial CGI.

Gestão de Compras
e-Compras – Gestão de Compras totalmente via Internet.

Gestão Logística de Transportes
Gestão para Transportadoras:

  • Trânsito;
  • Fretes;
  • Revisão;
  • Pneus;
  • Frotas;
  • E-Frotas;
  • Internacional.

DMRH – Administração de recursos humanos

Gestão Recursos Humanos
Admrh – Sistema de Recursos Humanos, com os módulos de:

  • Administração de Recursos Humanos(Folha de Pagamento);
  • Procedimentos(Folha de Pagamento);
  • Benefícios;
  • Convênios;
  • Cartão Ponto e Acesso;
  • Banco de Horas;
  • Medicina do Trabalho;
  • Segurança do Trabalho;
  • Cargos e Salário;
  • Treinamentos;
  • Recrutamento e Seleção;
  • Avaliação de Pessoal;
  • Processos Trabalhistas;
  • VisionRH.

MRP CGI – Manufacturing Resource Planning

Gestão de Manufatura
MRP-CGI - Gestão de Manufatura, com os módulos de:

  • Engenharia;
  • Controle da produção;
  • Planejamento da produção;
  • Custos industriais;

Topo ^

MRP – Manufacturing Resource Planning

Originalmente o conceito utilizado nos anos 60 era de MRP (Material Requirements Planning), se referia ao planejamento das necessidades de materiais para manufatura. Atualmente o conceito MRP está focado na gestão de operações como um sistema corporativo que apóia o planejamento de todas as necessidades de recursos do negócio. Normalmente, o MRP é usado em empresas de manufatura, embora já haja alguns exemplos de aplicação na área de serviços.

O papel do MRP é apoiar a decisão sobre a quantidade e o momento do fluxo de materiais em condições de demanda e serviços. A experiência tem mostrado que um bom MRP pode reduzir os níveis dos estoques, liberando capital de giro e espaço físico, permitindo a implementação de novas linhas de produção com estes recursos, criando um círculo virtuoso: redução dos níveis de estoques => aumento da capacidade de produção => aumento dos lucros => maior capacidade de investimento. O que é MRP? Ou aqui chamado MRP I permite que as empresas calculem os materiais dos diversos tipos que são necessários e em que momento, garantindo que sejam providenciados a tempo, para que se possam executar os processos de manufatura.

Ele utiliza como dados de entrada os pedidos em carteira bem como a previsão de vendas que são passados pela área comercial da empresa. Ex: imagine que você vai fazer uma festa para 40 pessoas daqui a duas semanas; se você vai oferecer churrasco, salgados, cerveja e refrigerantes, antes de ir as compras, você deverá fazer uma estimativa do consumo de cada tipo cada pessoa deve consumir.

Se você já tem em casa alguns itens (estoque) você pode descontar este estoque dos itens a adquirir, chegando a quantidade necessária de cada item.

Talvez você queira que alguns itens fiquem em estoque ou se constituam em uma reserva caso os convidados consumam mais do que o esperado ou mesmo que venham mais pessoas do que o esperado.

O MRP é um sistema que ajuda as empresas a fazer cálculos similares ao do exemplo acima, porém com uma complexidade muito maior, tendo como ênfase à utilização de informações sobre clientes, fornecedores e produção para administrar fluxos de materiais, de modo que os lotes de matérias-primas sejam planejados para chegar a uma fábrica mais ou menos quando necessário para fazer lotes de peças e submontagens que por sua vez serão feitas e entregues a montagem final quando se fizerem necessários, permitindo que os produtos acabados sejam montados e embarcados quando efetivamente os clientes necessitem deles.

A partir dos anos 80/90 este conceito se ampliou do planejamento das necessidades de materiais assumindo o conceito de Planejamento de Recursos de Manufatura (Manufacturing Resource Planning), ou MRP II, permitindo que as empresas avaliem as implicações nas áreas financeiras (necessidades de recursos financeiros), de engenharia (equipamentos, pessoal, máquinas) assim como as implicações quanto às necessidades de materiais. Ele é visto como um plano “global” para a empresa. Voltando ao nosso exemplo da festa, além dos materiais, queremos prever um sistema de som mais potente, um karaokê, uma equipe de animação caso a festa tenha crianças, se dispomos dos recursos financeiros para a empreitada o teremos que recorrer ao cheque especial ou ao cartão de crédito, se é melhor fazer a festa no próximo mês quando haverá maior disponibilidade financeira ou o salão do clube estará disponível sem custo, etc.

Topo ^

Características de implementação

As empresas, por serem de diferentes ramos, o ERP tem que ser implementados de formas e maneiras diferentes. Para isso, desenvolvemos nosso produto para produzir uma solução de forma que possa ser parametrizada em certo grau.

É composto de vários módulos que poderão ser instalados em separado com possibilidade que sejam integrados novos módulos no futuro. Cada módulo instalado é parametrizado para que se tenha a melhor aderência na forma do processo de negócio da empresa.

Topo ^

Fases da implantação ERP CGI

Fase 01
Registros desta fase:
a) Lista de verificação do sistema atual;
b) Pesquisa de conhecimentos dos usuários;
c) Coleta de dados.

Fase 02
Definições iniciais:
a) Definições de importações necessárias;
b) Análise e definições das necessidades de customizações.

Fase 03
Pré ativação:
a) Ativação dos sistemas, módulos adquiridos;
b) Importação das parametrizações padrão;
c) Efetuar consistências de dados do sistema anterior (em casos de conversão);
d) Efetuar carga inicial dos dados (em casos de conversão);
e) Definir e ajustar as parametrizações.

Fase 04
Registros desta fase:
a) Definir agenda de treinamentos;
b) Complementação dos treinamentos;
c) Auto treinamento.

Fase 05
Ativação:
a) Definir banco de dados oficial para implantação;
b) Fazer carga definitiva dos dados (em casos de conversão);
c) início das atividades no sistema com acompanhamento.

Fase 06
Registros desta fase:
a) Auditoria da implantação;
b) Encerramento.

Fase 07
Registros desta fase:
a) Pós ativação, as atividades são desenvolvidas seguindo os procedimentos do sistema de gestão da qualidade CGI, ISO9001:2000.